AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO MOTORA GROSSA EM CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL

Walter Rodrigues, Francis Meire Favero, Fernando Alves Vale, Christine Brumini, Mariana Cunha Artilheiro, Mariana Callil Voos

Resumo


A Paralisia Cerebral é uma disfunção sensório-motora, secundária a uma lesão não-evolutiva, no encéfalo imaturo. A função motora grossa é muito relevante para a independência funcional e pode apresentar diferentes graus de comprometimentos em crianças com Paralisia Cerebral. Informações sobre o desempenho motor norteiam o tratamento fisioterapêutico. O objetivo deste trabalho foi descrever a função motora grossa em crianças com Paralisia Cerebral. Foram avaliadas 18 crianças (treze meninos e cinco meninas), entre seis e quatorze anos de idade e diagnóstico médico de Paralisia Cerebral (seis hemiparéticos, seis diparéticos e seis tetraparéticos). As avaliações foram realizadas individualmente, com a Medida de Função Motora Grossa (Gross Motor Function Measure). Foi realizada estatística descritiva (mediana, mínimo e máximo) para quantificar o desempenho dos participantes. Os participantes com hemiparesia apresentaram pontuações maiores do que os demais (50% no escore total). Os participantes com diparesia apresentaram pontuações maiores (39% no escore total) do que os com tetraparesia (17% no escore total). A Medida de Função Motora Grossa mostrou diferenças na função motora grossa de pacientes com Paralisia Cerebral com hemiparesia, diparesia e tetraparesia. De modo geral, os participantes apresentaram melhor desempenho nas posturas mais baixas (prono, supino, sentado) do que nas posturas mais altas (ajoelhado, ortostatismo, marcha).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.